Walter Rodrigues ministra aula inaugural da Faculdade de Design

Designer dividiu com os alunos a sua trajetória no mercado da moda

TEXTO E FOTOS | Mariana Gomes

Na quarta-feira (17/04), no auditório do prédio D do campus Zona Sul, aconteceu a aula inaugural da Faculdade de Design com a presença do palestrante Walter Rodrigues, coordenador do Núcleo de Design e Pesquisa da Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (ASSINTECAL), consultor do Instituto By Brasil e curador do projeto Focus Design Visions – Moda & Arte.

Nascido em Herculândia, uma cidade do interior paulista, o palestrante contou como o caminho até o estrelato foi cheio de surpresas. “Eu só fui entender a importância desse lugar (sua cidade natal) quando li o livro Corações Sujos, do Fernando Morais, porque a 40 km da minha cidade existe a maior população japonesa fora do Japão”, disse Walter, referindo-se à pluralidade de culturas e inspirações que contribuíram para o seu estilo único.

A entrada de Walter na moda foi um tanto inusitada. Em 1980, ao comentar com a proprietária de uma loja que havia achado a vitrine “feia”, acabou recebendo o pedido para resolver a situação. Foi assim que ele começou a trabalhar na loja e conheceu o mundo da moda.

A partir daí, vieram muitas oportunidades. Ele era o único assinante da revista Vogue em sua cidade, o que contribuiu muito para o começo da carreira em Herculândia. Em 1981, ele leu uma matéria assinada por Regina Guerrero, na qual ela abordava o trabalho do designer japonês Rei Kawakubo com a marca Comme Des Garçons. Foi aí que ele teve o “estalo”: uma loja não poderia ter só peças, mas teria que comunicar algo, trazer alguma referência. “Uma pessoa que quer comprar não quer um pedaço de pano, mas uma inspiração”, explicou Walter.

Em 1984, já morando em São Paulo, Walter começou a trabalhar na editora Abril. Em seguida foi trabalhar em uma empresa pequena, chamada Huis Clos, onde foi assistente de Clô Orozco por dois anos e meio. “Foi minha universidade no sentido de entender matéria”, afirmou. Já como assistente de arte do fotógrafo Miro, Walter deixou a Huis Clos para continuar desenvolvendo seu estilo na Cooperativa de Moda, com Jum Nakao e Conrado Segreto, entre outros. “De certa forma a moda foi uma maneira de eu estudar uma das minhas maiores paixões que é a antropologia”, destacou.

Walter foi o primeiro estilista a participar de uma semana de moda no Brasil, o Phytoervas Fashion, criado em 1994. Em 1998, estreou na primeira edição do Morumbi Fashion Brasil, que em 2001 passou a se chamar São Paulo Fashion Week. Em 2004, resolveu apresentar suas coleções no Fashion Rio. Um dos maiores feitos da carreira foi desfilar na Semana de Moda de Paris.