Ticiano Osório, um perito dos textos

Jornalista participou do projeto ZH na Faculdade no campus Zona Sul

Na noite de 23/05 (o dia mais frio de 2018, até agora, no Rio Grande do Sul), cerca de 30 estudantes bem agasalhados estiveram no Foyer do Auditório Master, no campus Zona Sul, para receber Ticiano Osório. O jornalista, que trabalha há 23 anos na Zero Hora cobrindo esportes e colaborando para outras editorias, foi a atração do projeto ZH na Faculdade.

Após observar o público presente e o “burburinho” entre os estudantes, Ticiano se dirigiu até o palco do Foyer para ser apresentado pelo coordenador de Jornalismo e Produção Audiovisual da UniRitter, Leandro Olegário.

No bate-papo, o jornalista compartilhou com os alunos o novo modelo de negócios da GaúchaZH e as dificuldades do mercado de trabalho. Na primeira parte do evento o palestrante mostrou o vídeo de lançamento Gaúcha ZH que, ao longo de 2 minutos e meio, explicou a fusão dos portais da Rádio Gaúcha e Jornal Zero Hora, que ocorreu em setembro de 2017.

Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) em 1996, Ticiano relembrou o caminho traçado antes de se formar no curso. Segundo ele, o início da carreira foi muito importante. “O ano de 1994 ficou marcado, fui estagiário da Band AM. Os 10 meses que eu mais cresci na minha vida e descobri lições de humildade, aprendendo a lidar com as pessoas”, explicou.

Na segunda parte do evento foi a vez de o público se deparar com as explicações sobre o desafio de se persistir em uma pauta social e a importância da sensibilidade jornalística no desenvolvimento da reportagem. “Sempre pergunto para o repórter quando me deparo com uma frase muito chamativa e comprometedora: a pessoa disse isso mesmo?”, disse Ticiano.

Entre as reportagens que o experiente editor cita como exemplares estão Tite de chuteiras, publicada no caderno Doc, e a primeira produção própria feita ainda como estagiário na Bandeirantes, A espetacular guerra de dois mundos. Já nos instantes finais da palestra, Ticiano, com brilho nos olhos, reforçou seu amor pela função de editor. “Não quis ser repórter, porque é chato esperar as coisas acontecerem. Já como editor não espero, simplesmente faço”, comenta.

Após compartilhar muitas de suas vivências diárias na redação, Ticiano respondeu perguntas de estudantes e professores. Falou sobre novos projetos e tirou fotos com o público que ficou até o final da palestra.

A reportagem da Agência INQ conversou com o estudante do 1° semestre do curso de jornalismo, Marcos Correa, que disse ter gostado bastante da palestra. “Espero que o mercado não fique tão saturado, espero o dia em que a empregabilidade seja mais acessível no mercado”, destacou.

Também chamou a atenção no público da palestra a presença do sócio-diretor da agência de conteúdo República e egresso do Jornalismo da UniRitter, Leonardo Pujol, que explicou que não poderia perder a presença de uma pessoa que tem tanto a ensinar sobre o cotidiano de um jornalista. Pujol, que hoje é aluno de MBA em Gestão Empresarial no campus Zona Sul, ainda destacou que vale muito a pena tirar um tempo do seu dia para aprender um pouco mais sobre jornalismo.

Este slideshow necessita de JavaScript.