Talk show no campus Fapa pede paz no trânsito

Evento teve o apoio da FACS por meio do curso de Relações Públicas

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o número de mortes em acidentes de trânsito no Brasil, em 2010, era de 42.844, um dado demasiadamente preocupante para um país com população estimada em 194.946.488 habitantes. Nesse contexto, o campus Fapa recebeu, no dia 05/06, o talk show #euqueropaznotrânsito, um projeto que tem como principal meta promover a reflexão sobre a mudança de comportamento no trânsito.

Na mesa-redonda, estiveram presentes Diza Gonzaga, criadora da Fundação Thiago de Moraes Gonzaga – Vida Urgente; a presidente do Instituto Paz no Trânsito (IPTRAN), Heloísa Rocha; o estudante Renê Kasper, do 5º semestre de Publicidade & Propaganda; e o estudante Bruno Cezar, do 7º semestre de Relações Públicas. Também participaram as integrantes do Comitê de Relacionamento com o Mercado (CORP) do curso de Relações Públicas, Daniela Cidade e Liza Valença, do Instituto Triunfo; e o diretor da Escola de Ciências Humanas e Sociais, Marc Deitos.

O talk show começou com Diza contando como foi a Fundação Thiago Gonzaga. “O Vida Urgente não nasceu numa prancheta de marketing, mas sim naquela madrugada fria de maio, quando eu recolhi o Thiago do asfalto. Eu dizia “vida urgente” naquela hora. Porém, quando a fundação foi criada, eu quis ter uma abordagem diferente, alegre, que fizesse com que as pessoas que perderam seus entes queridos conseguissem seguir em frente”, contou, lembrando da morte do filho. Thiago tinha 18 anos recém feitos quando, ao voltar de uma festa de carona com um amigo, morreu em um acidente de trânsito. Diza também fez críticas aos projetos que circulavam na época. “Em 1996, só se falava sobre respeitar sinais e atravessar na faixa de segurança, como se trânsito fosse uma questão de sinalização. Comportamento? Nem pensar. Beber e dirigir? Imagina! Ninguém falava nisso. A fundação ganhou espaço por criar projetos que abraçassem comportamento”, explicou, ressaltando a sua antipatia às estatísticas. “As estatísticas têm rosto, sonhos, famílias. Quando ficamos só com números, não ficamos com nada”, concluiu.

Em seguida, o aluno do 7º semestre de Relações Públicas, Bruno Cezar, contou sobre como foi a sua inserção como voluntário na fundação. “Comecei com ações com crianças e depois entrei no grupo geral de voluntários. Passei a lidar com todo o tipo de pessoa”, disse. Bruno falou, também, sobre como o método que o Vida Urgente utiliza chama atenção dos jovens. “Nós nunca falamos que eles não poderiam beber, que não poderiam se divertir, mas sim que não poderiam unir bebida à direção”, destacou.

O estudante do 5º semestre de Publicidade e Propaganda, Renê Kasper, foi responsável por relembrar e homenagear o professor Gabriel Rymza e aluna Bianca Vedana Fraga, que faleceram em fevereiro deste ano em um acidente de carro. Além disso, Renê falou, também, sobre a importância da conscientização por parte dos jovens. “Tem uma ideia muito comum de ‘a lei está aqui para tirar dinheiro da gente’. Não é verdade. A lei está presente para conscientizar o jovem, ou seja, temos que pensar que isso é uma ajuda para que acidentes como o do Gabriel não aconteçam novamente”, enfatizou.

Além do talk show sediado na UniRitter, o Instituto Triunfo, em parceria com o IPTRAN, realiza, entre os dias 5 a 9 de junho, das 11h às 19h, no Aeroporto Salgado Filho, a exposição Brinquedo Órfão – Brinquedo sem Dono. A mostra exibe brinquedos de vítimas de acidentes de trânsito.

Este slideshow necessita de JavaScript.