Campus Zona Sul: Festival das Profissões ajuda na decisão do futuro profissional

Estudantes de Ensino Médio conheceram os mais de 20 cursos oferecidos pela UniRitter

Ao final do Ensino Médio, os adolescentes precisam fazer uma das escolhas mais importantes da vida: seu futuro profissional. Em mais uma edição do Festival das Profissões da UniRitter os estudantes receberam uma ajudinha nessa decisão ao terem a oportunidade de conhecer os cursos oferecidos pela instituição. Os jovens foram recebidos por professores, coordenadores e alunos, que mostraram as possibilidades de mercado em cada área e tiraram dúvidas. Além disso, os jovens puderam aproveitar a visita para fazer gifs em um equipamento disponível no campus, usando os acessórios coloridos. O evento ocorreu no dia 12/09, no campus Zona Sul, e recebeu escolas de Porto Alegre e Região Metropolitana. Confira abaixo um pouco mais do que rolou na Feira.


PUBLICIDADE E PROPAGANDA

O coordenador Geferson Barths e o professor Francisco Santos apresentaram o curso e ensinaram os 4 passos para a construção de uma propaganda. Também desafiaram os estudantes a vender uma peruca loira em um story de 15 segundos para o Instagram, explorando seu poder de persuasão, essencial na publicidade. “Não basta só mostrar o produto, tu precisa mostrar a necessidade dele para o público”, explicou o professor Francisco.


DIREITO

Já na entrada do local das atividades do curso de Direito, um choque: uma cena de crime. Ali, em frente ao corpo e às evidências, os adolescentes puderam conhecer mais sobre o trabalho de um perito criminal, desde a chegada no local do delito até a análise das provas. Professores e alunos do curso explicaram aos estudantes as diferentes possibilidades de mercado para um profissional formado em Direito, como delegados/as, promotores/as e advogados/as, e suas funções em uma investigação. No local também foi mostrado um vídeo, produzido pela Agência INQ, da cobertura de um julgamento fictício, que contou com a análise de caso do professor de Direito Processual Penal Marcelo Sant’Anna.


NEGÓCIOS

Uma das atividades destaque no Festival foi o Shark Tank. Inspirado no programa de TV de mesmo nome, a oficina desafiou os adolescentes a criarem um plano de negócios, considerando aspectos como público-alvo do produto (já pré-planejado pelos instrutores da oficina) e verba necessária para implementação. Após, apresentaram suas ideias para a banca de “tubarões” – os possíveis investidores -, formada por professores da área. O objetivo da atividade foi simular uma realidade encontrada no mercado, onde um empreendedor precisa ir em busca de apoio para seu produto sair do papel.


RELAÇÕES INTERNACIONAIS

As relações internacionais envolvem relações entre os países, relações de poder. Foi isso o trabalhado na oficina do curso, onde os adolescentes participaram de uma simulação de discussão no Conselho de Segurança da ONU. Cada estudante representou um país na busca de um consenso sobre um assunto em alta no momento: como lidar com as constantes ameaças de ataque da Coréia do Norte. Nessa atividade os adolescentes puderam experimentar uma das diversas carreiras possíveis no curso, que, além de diplomata, inclui trabalhar em empresas privadas e públicas.


HISTÓRIA

O professor Marcello Paniz Giacomoni e seu aluno Everton Souto Carvalho orientaram os adolescentes interessados no curso de História, promovendo um debate sobre o que é história e expondo o que um historiador faz. Marcello conta que muitos dos adolescentes que buscaram o curso tiveram boas experiências com seus professores, e esse seria um dos motivos do interesse. Os instrutores propuseram aos jovens a organização de um plano de aula, definindo tema e intencionalidade pedagógica, considerando, entre outros aspectos, os anseios dos alunos e as melhores formas de manter seu interesse.


GASTRONOMIA

Uma das atividades mais disputadas do festival foi a de gastronomia. Em todas as edições do festival, longas filas se formam a espera da oficina. Nessa edição, o desafio foi usar a imaginação para decorar um cupcake com pedaços de chocolate, granulados, entre outros. De acordo com o coordenador do curso, Moisés Basso, os estudantes demonstraram habilidade na atividade proposta, complicando a tarefa dos instrutores em escolher as 3 melhores decorações a cada batalha.


NUTRIÇÃO

Os interessados no curso de Nutrição aprenderam a como montar um prato saudável, com todos os nutrientes necessários, e ainda puderam ouvir mais sobre a legislação brasileira sobre os alimentos comercializados. Ainda, aprenderam como utilizar temperos para auxiliar na diminuição do sal nos pratos e montaram suas próprias amostras para testarem em casa. Muitos procuraram orientações sobre nutrição esportiva e questionaram o ex-aluno da UniRitter, Lucas Malmann, sobre o uso de suplementos e esclareceram mitos sobre o tema. Também foi feito o cálculo de IMC (Índice de Massa Corporal).


ENGENHARIAS

Professores dos cursos de Engenharia mostraram as fases de produção de um carro, passando pelo funcionamento do motor até os impactos ambientais gerados por sua circulação. Na atividade proposta pelo professor Diego Pacheco, da Engenharia de Produção, os adolescentes montaram uma miniatura do primeiro carro fabricado no Brasil, o Ford T. Na oficina da Engenharia Química, o professor Luciano Bessauer mostrou as interações e transformações de substâncias, e processos envolvidos na pintura. Os estudantes interessados em Engenharia Elétrica foram introduzidos à necessidade de uso de fontes de energia renováveis, assunto relevante em tempos de aquecimento global e escassez de recursos não-renováveis.


ARQUITETURA E URBANISMO

Recebidos pelo professor Jaderson Figueira Coelho, os adolescentes puderam tirar suas dúvidas sobre a área e desfazer mitos, como a necessidade de saber desenhar e se sair bem na matemática para cursar Arquitetura. Houve exposição de maquetes de projetos dos alunos da graduação e a possibilidade de fabricação de modelos, como móveis.


PEDAGOGIA

Na oficina do curso de Pedagogia, os adolescentes puderam aprender como utilizar o Tangram, um jogo milenar, no ensino das formas geométricas e da matemática para crianças até o 5º ano.

Confira imagens do Festival na Zona Sul:

Este slideshow necessita de JavaScript.


O papel da Feira de Profissões na escolha de uma carreira

Evento realizado no campus Zona Sul proporciona os alunos do Ensino Médio a oportunidade de conhecer as profissões que escolheram

Escolher a profissão e decidir qual carreira seguir é um dos passos mais importantes durante o processo de amadurecimento entre a saída do ensino médio e a entrada na universidade. As dúvidas e o medo de errar na escolha são frequentes até acontecer o despertar para a real vocação. Com o intuito de ajudar nessas escolhas, a UniRitter realiza a Feira de Profissões anualmente, buscando trazer os alunos para a realidade do curso escolhido.

Gabriela Volpi, do Colégio Militar, falou sobre a importância de participar do Festival das Profissões (Odara Larrêa/Agência INQ)

Alunos de escolas públicas e particulares participam do evento. São estudantes de diferentes classes sociais e faixa etárias, mas com as mesmas dúvidas na cabeça. Gabriela Volpi, 15 anos, está no 1° ano do ensino médio no Colégio Militar e vê nesse tipo de evento a oportunidade para esclarecer as dúvidas sobre as profissões a serem escolhidas. “ É um evento incrível, eu nem tinha pensado em tanta profissão. É muita profissão, é tudo muito legal,” diz, ainda sem ter optado por um curso.

Para quem já está na reta final do Ensino Médio, decidir qual carreira seguir é uma pressão ainda mais presente e uma cobrança constante por parte dos pais. Mariana Lopes, 19 anos, do 3° ano do Colégio Protásio Alves, fala da sensação de medo que sente com a chegada do fim do ano. “Fui em duas oficinas de cursos diferentes, tirei as dúvidas para me ajudar a escolher a faculdade”, conclui após ter se encantado pela oficina de Psicologia.

Do outro lado dessa escolha estão os professores, que durante o processo de decisão buscam orientar qual o melhor caminho percorrer de acordo com as afinidades de cada aluno. Miriam Santana, professora do Ensino Médio do Colégio Tiradentes, ressalta que a maioria dos alunos já chega com uma escolha pré-definida e que aos poucos vão se consolidando. “ Eles já chegam com uma escolha feita, já é um perfil dos nossos alunos. E esse evento é muito interessante porque dá oportunidade de conhecerem a rotina do curso, conversarem com professores e ter a certeza do que escolheram”, finaliza.