Estudantes entregam revista Forasteiros ao Cibai Migrações

Instituição foi parceira da UniRitter no projeto que envolveu imigrantes e alunos

Era cerca de 16h de sábado, dia 8 de julho, quando uma turma de alunos curso de Jornalismo da UniRitter começou a chegar no Cibai Migrações. Acompanhados da professora Mariana Oselame, os estudantes da disciplina Escola de Reportagem VI – Revista traziam nas mãos a revista Forasteiros, fruto do trabalho realizado em parceria com a instituição durante o primeiro semestre de 2017.

No segundo andar do Cibai, uma outra turma de estudantes arrumava os últimos detalhes na decoração da sala de aula: bandeirinhas coloridas, uma fogueira de papel celofane e a mesa de gostosuras típicas davam o clima para a festa “julina” que estava prestes a começar. Com um sotaque de quem recém começa a descobrir um novo idioma, os alunos do curso de Português para Estrangeiros oferecido gratuitamente pelo Cibai foram pouco a pouco descobrindo a história dessa comemoração tão brasileira.

A festa não foi o primeiro encontro entre os dois grupos de alunos, mas sim uma confraternização para marcar o encerramento de um semestre de muito trabalho duro – e que resultou na publicação da Forasteiros. Com o objetivo de dar voz para os imigrantes, a revista traçou perfis de alguns dos forasteiros que deixaram suas terras em busca de uma nova vida no Brasil.

Para os futuros jornalistas, a publicação foi uma oportunidade de mostrar histórias que normalmente não encontram espaço para serem contadas. Já para os forasteiros, significou ver suas memórias contadas em uma língua que somente agora começam a sentir que também é sua.

Serigne Bamba Toure, mais conhecido como Bamba, foi um dos senegaleses que teve seu perfil apresentado na revista. Segundo ele, ler a sua história impressa foi um momento de muita felicidade. “Tem muita gente que quer conhecer histórias dos imigrantes, mas não encontra. A nossa história não tem espaço, não encontra lugar”, reflete. “Então esse projeto trouxe essa oportunidade – para que haja mais integração e mais conhecimento sobre como a gente fez para chegar aqui, o que a gente fazia no nosso país, o que estamos vivendo aqui no Brasil”, destaca.

Segundo a professora Mariana Oselame, que coordenou a edição da revista, o objetivo inicial do projeto era aproximar os estudantes da UniRitter da realidade dos imigrantes, que muitas vezes chegam em Porto Alegre sem nenhuma orientação e sem dominar a língua. “A ideia era fazer com que nossos estudantes entendessem essa realidade e desenvolvessem as técnicas de reportagem em profundidade, onde é preciso conviver mais tempo com a fonte e construir um texto com mais fôlego”, explica. “Eu sinto que houve um crescimento muito grande na perspectiva de como nossos alunos olham a questão dos imigrantes. Certamente quem fez essa disciplina e participou de todas as experiências levou alguma coisa para a vida”, comenta Mariana.

O conteúdo da revista FORASTEIROS pode ser lido na página no Facebook ou na versão online da publicação.

Este slideshow necessita de JavaScript.