Editor-chefe de conteúdos digitais do La Nación fala no Em Pauta ZH

Diego Japas relatou a transição do jornal centenário para a era digital

A mudança do fazer jornalístico na era digital vem sendo tema de debates ao redor do mundo. Um dos cases mais bem-sucedidos dessa transição é o La Nación. Pensando nisso, a 13ª edição do Em Pauta ZH trouxe como tema “Estratégias Digitais de Conteúdo”, e contou com a presença de Diego Japas, editor-chefe de conteúdos digitais do periódico argentino. O encontro aconteceu no dia 30 de maio e teve mediação de Marcelo Rech, vice-presidente editorial do grupo RBS.

Fundado em 1870, o jornal vem servindo de referência quando o assunto é se reinventar. Em novembro de 2016, o periódico passou por duas grandes mudanças: depois de 146 anos circulando impresso no formato standard, relançou-se na forma de tabloide e também como canal de televisão, o LN+.

Nas duas horas em que conversou com os jornalistas, estudantes, professores e leitores que lotaram o Salão Nobre da Zero Hora, Japas apresentou as estratégias adotadas pelo La Nación para trocar a imagem de jornal sisudo sem se desviar de sua tradição. Ao mesmo tempo em que lançou o projeto Emoções, onde conta histórias de vida de leitores com conteúdo emocional, se especializou no jornalismo de dados, e hoje tem ferramentas que permitem aos leitores acompanhar inclusive o número de sessões comparecidas por cada deputado argentino.

O Em Pauta ZH foi criado em 2015, e a cada edição traz um convidado diferente para debater o jornalismo. Mônica Bergamo, João Moreira Salles, Eliane Brum e Adriana Carranca são alguns dos nomes que já passaram pelo projeto. “O encontro surgiu da necessidade que estávamos sentindo de nos aproximar, de colocar a nossa profissão e o mercado em debate. Desde então, fazemos um esforço enorme para manter esse evento, para que a gente possa aproximar os estudantes, professores, pesquisadores e os profissionais que se destacam no Brasil e fora do Brasil para nos trazer ideias, para que a gente possa debater e nos aperfeiçoar”, explica a editora de comunicação da Zero Hora, Lúcia Pires.

O projeto ganhou até um site especial, que serve como memória dos debates que já ocorreram. O conteúdo pode ser conferido aqui.