Do Expresso Esportivo para Os Donos da Bola: a dupla que deixou a INQ para ingressar na BAND

Luana Meireles e Paula Fernandes realizaram o sonho de estagiar na editoria de esportes 

Em maio de 2017 a agência experimental de comunicação do Centro Universitário Ritter dos Reis passou a se chamar INQ – apelido dado aos alunos da UniRitter, que são inquietos, criativos e talentosos. Com a missão de ser um espaço para descobertas, a agência é um ambiente em que os alunos aprendem a rotina do mercado e, acima de tudo, descobrem os próprios talentos. O Núcleo de Jornalismo e Produção Audiovisual, coordenado pela professora Mariana Oselame, além das notícias convencionais, abraçou o núcleo esportivo, no qual os apaixonados por esporte tiveram a oportunidade de criar um programa de rádio. O Expresso Esportivo abriu os microfones e fez vozes masculinas e femininas ecoarem na Rádio UniRitter.

O programa tinha a equipe formada por Danrley Gonçalves, Jocelias Costa, Luana Meireles Carvalho, Vinicius Appel Fernandes, Matheus Suminski, Leonardo Ambrosio, Paulo Eduardo Marques, Paula Tavares Fernandes e Carlos Eduardo Netto. Assim como os colegas, Paula e Luana se dedicaram ao Expresso durante o ano passado e dividiram as funções de produção, apresentação e reportagem. Em 2018, o empenho e a competência delas auxiliaram na conquista de vagas de estágio no programa Os Donos da Bola, da Rede Bandeirantes. Após dois semestres de aprendizado na agência INQ, carregando o desejo de trabalhar em um veículo de comunicação e currículos em mãos, as duas alunas conseguiram concretizar um sonho que tinham desde meninas: aliar o amor ao Jornalismo e o esporte.

O começo do amor pelo esporte

Luana Meireles Carvalho  é universitária do 6º semestre de Jornalismo, tem 20 anos, e desde pequena gosta e pratica esportes. Na adolescência estudou em um colégio de período integral, o Instituto Adventista Cruzeiro do Sul (IACS), em Taquara. Foi na instituição que a paixão por esportes e pela comunicação tomaram forma e ganharam espaço na vida dela, pois organizava os eventos esportivos e percebeu facilidade para se comunicar. “Lá foi o ponto inicial do esporte. Eu me vi comunicativa. No final do ensino médio fiz a minha escolha pelo Jornalismo”, conta.

Paula Tavares Fernandes tem 21 anos, é aluna do 6º semestre de Jornalismo, e é torcedora de futebol desde criança. Apesar de o gosto pelo esporte ser desde a infância, ela via o futebol apenas pelos olhos de fã. Depois de entrar na faculdade, Paula passou a observar o esporte com outro olhar, não apenas por diversão. “De uma forma geral, eu penso que o esporte pode mudar vidas. Parece apenas um lazer ou uma competição, mas muda vidas, muda pessoas, muda destinos”.

O núcleo de esportes da Agência INQ          

Depois de ingressar no Jornalismo e estarem na metade do curso, Paula e Luana decidiram se inscrever no edital da agência INQ e integraram o núcleo de esportes. Luana procurava um estágio na área da comunicação e viu na agência experimental uma oportunidade de aprendizado. Paula estava na mesma situação e buscava uma tarefa que pudesse contribuir para o seu crescimento pessoal e profissional. As duas alunas foram aceitas e com os outros colegas criaram o Expresso Esportivo.

Os alunos planejaram o conteúdo visual, o nome, o formato do programa e analisaram o que faltava no mercado. Os universitários revezavam as funções no Expresso, desta forma, todos experimentaram os diversos cargos e responsabilidades. O trabalho em grupo, o entrosamento da equipe e a qualidade do conteúdo resultaram na conquista do terceiro lugar na categoria Radiojornalismo no II Prêmio Inquieto da UniRitter. Por meio do conhecimento adquirido na agência e empenho próprio, Paula e Luana participaram do processo seletivo de vagas de estágio para o programa esportivo da Rede Bandeirantes.

Estágio na Rede Bandeirantes

Luana trabalhava há dois anos no ramo financeiro e desejava um estágio no Jornalismo. Ela deixou o emprego em que estava e foi à procura da vaga. Durante oito meses, trabalhou na Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe), mas quando soube da oportunidade na Band, enviou um currículo e aguardou ansiosamente o resultado. Assim como a colega do Expresso Esportivo, Paula passou na seleção da Rede Bandeirantes. Desde o dia 2 de abril de 2018 as duas universitárias fazem parte da produção do programa televisivo Os Donos da Bola, um espaço de debates na televisão gaúcha e que tem participação de comentaristas. As alunas da Faculdade de Comunicação (FACS) atuam na produção do programa esportivo, nas pautas, ajudam repórteres e auxiliam na rádio. Já estando no veículo de comunicação que mais gosta, a televisão, Luana sonha com um dia apresentar um programa de esportes. Paula visa produzir reportagens para o jornal impresso e digital, além de pensar em viajar para outros países.

Conselhos para os inquietos

A Agência INQ ajuda os alunos da FACS a desenvolver e aprimorar habilidades e talentos, servindo de portfólio profissional e ponto de partida para descobertas. Paula fala sobre a visão mais ampla que a INQ forneceu a ela. ”Me agregou bastante, cresci muito como pessoa e como profissional. Aprendi que é muito difícil fazer com que tudo saia perfeito, mas que sempre temos que melhorar”, conta. Luana diz que não tinha conhecimentos aprofundados em rádio e na agência aprendeu tarefas que desempenha atualmente.  “Uma dica que eu daria para alguém que está cursando Jornalismo e não tem emprego ainda é: vai pra INQ porque é o melhor caminho. Tudo o que eu coloquei em prática na Susepe e estou colocando em prática na Band, se não fosse a INQ eu ia quebrar muito a cabeça.”

As duas universitárias da UniRitter estão escrevendo a própria história. Escolheram o que querem fazer e se esforçam diariamente para que os seus sonhos e objetivos não sejam ofuscados por obstáculos. “Se a gente quer chegar a algum lugar, tem que sair do nosso comodismo. Encarar a vida e mostrar que a gente pode”, aconselha Luana. “Nunca parem de acreditar nos sonhos, é traçar uma meta e fazer de tudo para alcançar ela. É não se acomodar, não parar e tratar todos bem. O mundo é muito louco, principalmente o do Jornalismo”, diz Paula.

A entrada das alunas na emissora de TV, além da realização de um sonho, é também a afirmação da mulher no Jornalismo, principalmente no meio esportivo. Apesar dos empecilhos da profissão e dos desafios rotineiros, Luana e Paula conciliam o estágio e a faculdade para alcançar voos cada vez mais altos.