Denise de Rocchi: a fusão entre o Jornalismo e as Relações Internacionais

Professora da FACS desde 2013, jornalista se divide entre a paixão pelas notícias e pelo mundo da diplomacia

TEXTO | Aline Eberhardt

Crescer ouvindo do próprio pai que Pinochet tinha estragado seu aniversário três anos antes, quando deu o Golpe no Chile, em 1973, certamente não deve ter sido fácil. E fazer 25 anos no dia do maior atentado terrorista da história, o ataque às torres gêmeas do World Trade Center, também não deve ter sido agradável. “É realmente uma data inesquecível”, conta a professora Denise de Rocchi, nascida em 11 de setembro de 1976.

Docente na FACS desde agosto de 2013, Denise concluiu o curso de Jornalismo na Fabico, no final dos anos 1990. Estreou na carreira jornalística como estagiária no programa Câmera 2, na TV Guaíba, aprendendo muito com Clovis Duarte. Depois, nos dois últimos anos da faculdade, passou pela Rádio Bandeirantes. Lá, trabalhava com redação de notícias e fazia algumas entradas no ar, com pequenos boletins durante a programação. “Foi o que me abriu portas”, conta.

Já formada, começou a fazer frilas para a Rádio Gaúcha. Sem muita perspectiva de continuar no veículo, montou uma atividade de assessoria de imprensa, com outra colega. Apesar de ser uma bela experiência, a vontade de voltar ao rádio era maior.

Mexeu os pauzinhos, falou com antigos contatos, e pronto: estava novamente no ar. Dessa vez, na Agência Radioweb — onde ficou por quase dez anos. “Quando estava há um ano e meio na UniRitter, a carga horária da rádio com a universidade começou a ficar pesada, e tive que escolher”, conta. Mas, até hoje a professora mantém contato com os colegas da rádio. E ainda fala que, se precisar cobrir as férias de alguém, está à disposição. “Só para pegar o gostinho de novo da reportagem, ter contato novamente com essa rotina”, diz.

O mundo das Relações Internacionais

Com quase seis anos de FACS, Denise já ministrou mais de 14 cadeiras diferentes. “Fico surpresa com a quantidade de cadeiras que já ministrei”, conta rindo. Três eram da área de rádio, por toda sua experiência, e todas as outras tinham relação com política, Jornalismo Internacional e disciplinas ligadas à política externa.

Denise é mestre em Relações Internacionais pela UFRGS. “Meu pai sempre foi um incentivador e tenho memórias de infância de assistir ao noticiário e me interessar pela área internacional”, explica. Quando se formou em Jornalismo, o desejo de continuar estudando ainda existia. Até que alguém sugeriu: por que não fazer o concurso do Itamaraty e ser diplomata?

Foi aí que ela começou a estudar e se encantou pela área das Relações Internacionais. “Ela tem a possibilidade de juntar vários conhecimentos, fazer uma coisa interdisciplinar”, diz. Atualmente, Denise desenvolve a sua tese de Doutorado, com tema de Diplomacia Pública — mais especificamente, projetos de governos que envolvem o uso de veículos de comunicação para atingir a opinião pública estrangeira.

Em off

Quando se trata de tempo livre, a resposta é fácil: séries. Nenhuma novidade para os alunos de disciplinas como Introdução às Relações Internacionais, já que Denise costuma levar para a sala de aula séries como Vikings para contextualizar os conteúdos. Então, aqui vão as dicas da jornalista e mestre em RI: House of Cards, para pensar muito sobre política; The Borgias, sobre a época em que os Papas tinham muito mais poder; e El Ministerio del Tiempo, para entender a história do ponto de vista espanhol. Todas disponíveis na Netflix.

Além das séries, o artesanato virou um hobby. Pintar o apartamento, decorar, criar e inventar nos trabalhos manuais são coisas que a professora gosta de fazer quando não está envolvida com as aulas ou com os estudos. “Como a gente tem um trabalho muito acadêmico e mental, isso acaba sendo um complemento, uma forma de ver algo pronto e concreto ali na minha frente”, explica.

É claro que viajar não poderia ficar de fora dessa lista. Argentina, Coreia do Sul e México são alguns lugares por onde Denise já passou. “Faz tempo que eu tô em dívida comigo mesma de planejar outra viagem grande, de passar duas, três semanas fora, conhecendo outro lugar”, lamenta. Uma coisa é certa: logo saberemos qual será seu próximo destino. Afinal, uma jornalista que é mestre em Relações Internacionais jamais ficará parada.

RAIO-X

Nome completo: Denise De Rocchi
Data de nascimento: 11/09/1976
Em que ano e onde se formou em Jornalismo: 1999, na UFRGS
Em que ano concluiu o Mestrado:
Dissertação de Mestrado:
Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/6556104482775022
Onde já trabalhou: Jornal do Comércio; Agência Radioweb; Rádio Gaúcha; Rádio Bandeirantes; Câmera Dois – TV Guaíba.
Em que ano ingressou na FACS: 2013-2
Prêmios conquistados: Fepam – menção honrosa; Direitos Humanos – menção honrosa.
Qual foi o principal momento como jornalista? Último plantão da Radioweb, quando a então presidente Dilma Rousseff veio a Porto Alegre. Também cito a inauguração do Viaduto Abdias do Nascimento.
Uma frase: O bambu que se dobra é mais forte do que o carvalho que resiste (provérbio japonês).
Um filme: Acho que teve um para cada fase da minha vida. Mas um que me marcou bastante foi o Matrix. Eu entrei no cinema sem dar nada para o filme, e ele foi muito impactante.
Uma comida: Uma só é difícil. Mas, posso dizer que gosto é de comidas inusitadas, pratos diferentes, de outras culturas… me abrir para experiências.
Um sonho: Ter uma biblioteca. As pessoas se surpreendem: tenho mais prateleiras com livros do que prateleiras no guarda-roupa, na minha casa.
Ser professora na FACS é… uma das coisas mais gratificantes que já fiz.

Este slideshow necessita de JavaScript.