Núcleo de Extensão Universitária promove encontro nos campi Zona Sul e Fapa

Projetos desenvolvidos pelos alunos e professores da UniRitter foram apresentados nos campi Fapa e Zona Sul

Começou na terça-feira (22/08), no auditório D, no campus Zona Sul, mais uma edição dos Encontros de Extensão, evento que reúne professores e alunos da UniRitter envolvidos em projetos desenvolvidos junto à comunidade. Na quarta-feira (23/08) o evento foi realizado no auditório 6, no campus Fapa e, na quinta (24/08), teve mais uma edição no auditório D do campus Zona Sul.

Realizados anualmente, os Encontros de Extensão têm como objetivo divulgar as ações dos projetos selecionados no início do ano por meio de edital aberto a todos os professores da instituição. “Os Encontros de Extensão visam proporcionar o diálogo entre diferentes projetos, pessoas de diferentes áreas”, explica a pró-reitora acadêmica da UniRitter, Bárbara Costa. “É importante que a comunidade acadêmica conheça os projetos que estão sendo feitos”, reforçou a assessora institucional do Núcleo de Extensão Universitária, Siomara Monteiro.


PRIMEIRO DIA (22/08, campus Zona Sul)

Projeto Tecnologia Assistiva e Gameficação | Design e Design de Jogos

O projeto tem o objetivo de criar jogos digitais para crianças com dificuldades motoras. Desenvolvido pelos alunos e professores da UniRitter em parceria com a APAE, o protótipo tem três etapas: simulador de ambiente, suíte de jogos e adaptações. A iniciativa teve a preocupação em adaptar os jogos às necessidades das crianças, além de manter o baixo custo da fabricação. Segundo os coordenadores, a maior dificuldade enfrentada é a falta de literatura para as crianças com necessidades especiais.

Apresentação do projeto Tecnologia Assistiva e Gameficação (Maíra Bernardo/Agência INQ)

Projeto Ciclo  |Biomedicina, Design de Jogos, Farmácia, Jornalismo e Pedagogia

A proposta é promover mudanças sociais na comunidade Vila Orfanotrófio e prevenir parasitoses – doenças provocadas por parasitas no intestino. A iniciativa busca avaliar a prevalência de infecções intestinais em crianças e analisar os fatores de riscos sócios econômicos que levam a essas doenças. Para esse projeto foi necessário interligar disciplinas da Saúde, Pedagogia, Tecnologia e Comunicação, aliando dados e estratégias de mudanças sociais com educação. A primeira parte do projeto pretende reunir amostras e gerar um laudo que ateste a presença dos parasitas, para então relacionar com questionários socioeconômicos. A última etapa é traçar medidas educativas e de saúde para prevenir e conscientizar a população local dos riscos. Aprovado pelo Comitê de Ética, o projeto ainda está na fase de coletas.

Professora Clara Brandelli apresentando o projeto Ciclo (Maíra Bernardo/Agência INQ)

Projeto Banco de depoimentos |Cinema, Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Relações Públicas

Os alunos de comunicação criaram um conjunto de vídeos que conta histórias de mulheres que sofreram de câncer de mama. O objetivo é repassar mensagens de superação e aprendizado, com registros audiovisuais e campanhas. Os vídeos-depoimentos são trabalhados por estudantes de Cinema e Jornalismo e os planejamentos visuais e campanhas são feitos pelos alunos de Publicidade. A Professora Daniela Israel citou a importância do projeto, principalmente na vida acadêmica. “Diretamente na questão profissional, a gente coloca eles [os alunos] na prática, eles já saem do semestre com um portfólio e com um trabalho social”.

O primeiro projeto de extensão da FACS surgiu de uma conversa entre Daniela e os professores Marcelo Tavares e Camila Farina, sobre como a Comunicação poderia ajudar em um projeto social. A ideia é que o tema abordado a cada ano seja pauta na sociedade. Em outubro, os podcasts gravados serão exibidos na TVE e FM Cultura como parte da programação do Outubro Rosa.

Professora Daniela Israel apresentando o projeto Banco de Depoimentos (Maíra Bernardo/Agência INQ)

Projeto Baú de memórias | Design, Letras e Moda

Inspirados pela arquitetura de Porto Alegre e literatura, os alunos reproduziram figurinos inspirados em mais de 20 relatos históricos.  A ideia é mostrar como as roupas podem contar uma história. Os estudantes reproduziram roupas a partir das páginas de contos e, por último, montaram um editorial. Os próprios participantes foram os modelos. A coleção une moda, design e contos verdadeiros em um projeto cultural.

Professora Regina Silveira apresentando o projeto Baú de Memórias (Maíra Bernardo/Agência INQ)

Projeto Sexta do professor | Letras

O projeto oferece oficinas de processos de leitura e escrita. Cada encontro tem um ministrante da área de Letras. Entre as atividades das reuniões estão relatos de alunos e professores como incentivo à leitura, a exploração de gêneros literários e recolhimento de livros e distribuição dos mesmos em escolas e oficinas.

Apresentação do projeto Sexta feira do Professor (Maíra Bernardo/Agência INQ)

Projeto Ecomoby | Design de Jogos, Desenvolvimento de Sistemas, Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica e Fisioterapia

Estudantes de engenharia se uniram a outras áreas para criar um mobiliário eco sustentável para crianças e pessoas com dificuldades motoras de baixa renda. A construção é feita com peças de PVC e as maiores dificuldades foram garantir medidas de segurança e modificar o projeto de acordo com as necessidades de cada pessoa. Para isso, o grupo testou resistência, modelagem, melhorias e adaptação. Foram projetados uma cadeira higiênica e um andador.

Modelo inicial da cadeira do projeto ECOMOBY (Maíra Bernardo/Agência INQ)

Projeto Young Energy | Arquitetura, Engenharia Ambiental e Sanitária e Engenharia Civil

Contextualizando que painéis solares ainda são artigos difíceis de serem conquistados, o professor John Wurdig começou a palestra explicando sobre a importância da energia sustentável e como essa tecnologia pode ser adaptada em locais de baixa renda. O projeto se sustenta sob três pilares: tecnologia social (curso de capacitação para instaladores de placas solares, gratuito para moradores), sustentabilidade (aplicações de placas solares nos locais de baixa renda) e qualificação profissional (cursos de qualificação fornecidos pela UniRitter). A ideia reuniu engenheiros e arquitetos em um objetivo social nos encontros de extensão.

Professor John Wurdig apresentando o projeto Young Energy (Maíra Bernardo/Agência INQ)

SEGUNDO DIA (23/08, campus Fapa)

Projeto Estudo comparativo sobre direito à noção básica em saúde | Direito

O projeto, elaborado pelos estudantes do curso de Direito, faz um comparativo sobre o que a população das comunidades da Vila Cruzeiro, em Porto Alegre, e da Rua Venezuela, em Buenos Aires, entendem como saúde e direito à saúde. O projeto é orientado pela professora do curso de Direito, Sandra Regina Martini.

Apresentação do projeto estudo comparativo sobre o direito à atenção básica em saúde (Robson Farias/Agência INQ)

Projeto Arquivo Histórico UniRitter | História

Coordenado pela professora do curso de História, Fernanda Oliveira, o projeto objetiva construir um memorial que conte a história da UniRitter campus Fapa, desde a construção da faculdade, e de como isso influencia as comunidades do entorno.

Apresentação do projeto Arquivo Histórico UniRitter (Robson Farias/Agência INQ)

Projeto Desenvolvimento Sustentável de Propriedades Leiteiras em Viamão | Medicina Veterinária

O projeto coordenado pelo professor de Medicina Veterinária, Guilherme Konradt, realiza visitas, em grupos formados por alunos, a pequenas propriedades de agricultores familiares, em Viamão. O objetivo é otimizar os processos para qualificar a produção de leite nessas propriedades.

Integrantes do projeto Desenvolvimento sustentável de propriedades leiteiras (Robson Farias/Agência INQ)

Projeto Um Olhar a Partir da Construção do Acesso à Justiça | Direito

Há mais de 12 anos, o projeto realiza visita às detentas do Presídio Feminino Madre Pelletier. Nesses encontros, a coordenadora do projeto, professora Simone Schroeder, faz com que a academia entre em contato com a realidade do cárcere, objetivando empoderar as encarceradas e as preparando para a reinserção social.

Integrantes do projeto Um Olhar a Partir da Construção do Acesso à Justiça (Robson Farias/Agência INQ)

Projeto Laboratório de Mediação | Direito e Pedagogia

Em uma colaboração dos cursos de Direito e Pedagogia, foi criado um jogo que trabalha com táticas jurídicas de mediação de conflitos, implantado em escolas públicas em comunidades de áreas criminalizadas. O projeto foi apresentado pelas professoras que coordenam a ação, Claudia Barbedo e Luciana Aranalde.

Líderes do projeto Laboratório de Mediação (Robson Farias/Agência INQ)

Projeto Comitê Proler, Semeando Cultura | Letras 

Os alunos do curso de Letras-Inglês realizam, através do projeto, saraus, projetos de incentivo à leitura em escolas públicas e privadas. Além disso, realizam visitas a policiais presos, afastados da função. Nos encontros, eles trabalham a literatura como forma de expressão e reflexão sobre o que os colocou nessa condição. O projeto é coordenado pela professora Alessandra Camilo.

Projeto Comitê Proler Semeando a Cultura (Robson Farias/Agência INQ)

TERCEIRO DIA (24/08, campus Zona Sul)

O dia 24 de agosto (quinta-feira) foi marcado por mais uma série de apresentações dos projetos do Núcleo de Extensão Universitária da UniRitter. Na tarde de quinta-feira, cerca de trinta pessoas reuniram-se no auditório do Prédio D do campus zona sul para prestigiar o evento. Alunos e professores uniram-se em prol de causas que impactam os moradores das áreas próximas aos campi da instituição. Desta união surgiram cinco projetos que abrangem diferentes temas, faixas etárias e gêneros, porém, todos eles visam contribuir para a melhoria da qualidade de vida das comunidades nas quais as iniciativas são instituídas.

Projeto Metamorfose | Nutrição, Farmácia e Psicologia

A apresentação do projeto Metamorfose se iniciou com a fala da professora de Nutrição, Luciana Schmidt, sobre os dados do IBGE quanto à expectativa de vida e desigualdade social da Vila Orfanotrófio, local onde as ações do grupo são realizadas. De acordo com os índices, a região apresenta baixa qualidade de vida. O Metamorfose atua no Centro Comunitário Orfanotrófio (CENCOR), que atende cerca de 330 crianças, tem 36 voluntários e um dirigente. Fortalecer as relações da UniRitter com a comunidade e o bem-estar biopsicossocial estão entre os objetivos do projeto que fornece aulas de panificação e internet para as crianças do CENCOR.

Professora Luciana Schimitt apresentando o projeto Metamorfose (Maíra Bernardo/Agência INQ)

Projeto Interfaces | Psicologia, Enfermagem, Direito, Arquitetura, Farmácia, Cinema, Letras Inglês, Relações Públicas, História e Jornalismo

O Interfaces trata das adversidades enfrentadas pela população negra e tem como missão debater em escolas assuntos como preconceito, saúde, aceitação da cultura afro, educação, mercado de trabalho, mídias, violência e representatividade. Assim que as alunas de Arquitetura começaram a relatar sobre e origem do projeto, muitas pessoas na plateia ficaram emocionadas. “Eu nunca vi tanta força reunida num único lugar”, comentou, entre lágrimas, uma mulher que acompanhava a apresentação.

Participantes do projeto Interfaces respondendo dúvidas (Maíra Bernardo/Agência INQ)

Projeto Virgínias: Máscaras da Deformação | Psicologia, Enfermagem, Arquitetura, Farmácia e Biomedicina 

A leitura de um poema sobre a vida sofrida de Virgínia apresentou o projeto. Morte e sofrimento fizeram parte da trajetória da personagem, mas os relatos da ficção não ficam somente na literatura. O Virgínias começou como uma pesquisa sobre a prostituição de mulheres transexuais e passou a abordar outras situações enfrentadas pelo sexo feminino. Machismo, literatura, saúde e empoderamento estão entre os temas debatidos pelo projeto.

Apresentação do projeto Virgínias – Máscaras da deformação (Maíra Bernardo/Agência INQ)

Projeto Atenção pedagógica em educação de adultos | Pedagogia, Letras Inglês Ciências da Computação e Moda

Denise Ceroni, professora do curso de Pedagogia, falou sobre o projeto que atende homens e mulheres a partir dos cinquenta anos de idade. Os encontros do grupo são marcados por dança, música, debate, bom humor e troca de conhecimento entre a universidade e a comunidade. Entre as propostas do projeto, estão aulas de informática, inglês, espanhol e artesanato. Ceroni destacou pontos importantes para um amadurecimento saudável e falou que apesar do avanço da idade, é necessário que a pessoa continue sentindo-se relevante para a comunidade na qual está inserida.

Participantes do projeto Atenção Pedagógica em adultos (Maíra Bernardo/Agência INQ)

Projeto Cariño Roupas Sustentáveis | Design

Educação, meio ambiente, saúde e sustentabilidade são palavras que definem o projeto  Cariño, que irá desenvolver roupas para bebês com idades entre 0 e 12 meses. O objetivo do grupo envolvido na iniciativa é ensinar a confecção de peças infantis com poucas costuras, tecidos leves e peças que não são mais usadas pela criança. Pensando no bem-estar do bebê, o grupo pesquisou tecidos, cores e materiais que poderiam ser encontrados em casa. Depois desse processo, a Cariño desenvolveu técnicas e um manual para auxiliar na produção das peças de roupa. O projeto que nasceu na UniRitter irá participar de congresso científico que ocorrerá em Bauru/SP, o 13º Colóquio de Moda, que promove a troca de conhecimentos relacionados à arte, ciência e tecnologia utilizados na moda.

Apresentação do projeto Cariño roupas sustentáveis (Maíra Bernardo/Agência INQ)

Projeto Eco Educadores | Engenharia Ambiental e Sanitária

A última iniciativa apresentada na tarde de quinta-feira foi o Eco Educadores, que tem como missão proporcionar a vivência acadêmica a alunos de escolas próximas da UniRitter e ampliar a visão de sustentabilidade deles.  Apesar de cada reunião do grupo ter assuntos determinados, o tema abordado pode mudar de acordo com as questões levantadas pelos alunos. Durante os encontros, crianças e adolescentes aprendem a pensar o consumo de forma crítica e compreender a importância do papel que eles têm nas ações necessárias para mudar a realidade socioambiental da comunidade.

Apresentação do projeto EcoEducadores (Maíra Bernardo/Agência INQ)