Campus Iguatemi recebe lançamento da quarta edição do Geração Dux

Promovido pela Fundação Gerações, programa conta com o apoio institucional da UniRitter

Texto | Eduarda Narciso
Fotos | Carlos Barcellos

A edição 2019 do projeto Geração Dux foi lançada, na tarde de quinta-feira (12/04), no Campus Iguatemi. Realizado pela Fundação Gerações com o apoio institucional do CIEE-RS, UniRitter e Instituto Jama, além de diversas organizações públicas e privadas, o programa tem como objetivo formar jovens lideranças que tenham interesse nas causas sociais. Para marcar o lançamento da quarta edição foi realizado um debate com o tema “negócios que inspiram”. Foram chamados três jovens empreendedores identificados com as causas sociais: Vinícius Muller, engenheiro de produção e representante da Meu Copo Eco no Estado; Guilherme Braga, CEO e fundador da Egalitê, empresa que faz a inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho; e Daniel Izzo, co-fundador da Vox Capital, que busca solucionar problemas reais da população de baixa renda. Na plateia, além dos duxers e de professores da UniRitter, estavam o diretor da Fundação Gerações, Léo Voigt; o reitor da Instituição, Germano Schwartz; e o gestor de Relações Institucionais do CIEE-RS, Cláudio Bins.

O evento começou com Vinícius Muller, que falou sobre o surgimento do Meu Copo Eco. Com oito anos de funcionamento, a empresa que oferece soluções ecológicas para a substituição dos copos descartáveis já tem cerca de 7 milhões de usuários. A meta é criar uma nova cultura de consumo, eliminando os descartáveis e diminuindo os resíduos no meio ambiente. “Mudanças pequenas podem causar grandes impactos”, disse o empreendedor a respeito da adoção de copos reutilizáveis. Muller também ressaltou a grande quantidade de lixo produzida em eventos e a capacidade dos copos ecológicos de reduzirem em até 80% os resíduos gerados pelo plástico e outras substâncias.

Em seguida, Guilherme Braga abordou a importância de se incluir deficientes no mercado de trabalho. “As empresas devem desvincular deficiência de ineficiência e olhar para o candidato através de sua capacidade, e não apenas de maneira assistencialista para cumprir a lei”, disse. Guilherme contou que, aos 15 anos, fez um intercâmbio em Michigan, nos Estados Unidos, e teve a oportunidade de fazer dupla em um trabalho escolar com um colega cadeirante. A partir daí, interessou-se pela causa ao observar a grande eficiência de seu parceiro. Graduado em Direito, ele participou, em 2007, do 1° Torneio Empreendedor da PUCRS. Seis anos depois, fundou a Egalitê, que já foi reconhecida na categoria Prosperidade do Global Grand Challenges Award, promovido pela Singularity University. Atualmente, a empresa trabalha com o recrutamento online de funcionários e busca ressaltar o valor da diversidade entre trabalhadores para combater o preconceito.

Para encerrar o evento de lançamento do Geração Dux 2019, Daniel Izzo discorreu sobre os fluxos de investimento de transformação social e a relevância da Vox Capital nesse meio, sendo a principal gestora de investimentos de impacto no Brasil. Entre os objetivos da Vox estão a melhoria de serviços nos setores de saúde, educação e serviços financeiros para a população de classe baixa, fazendo com que esses indivíduos possam ascender socialmente. Izzo comentou a respeito da importância de mudanças na gestão de empresas tradicionais, através da consciência do valor do bem-estar social, e não apenas do lucro. “A primeira geração do milênio não pensa em ter apenas retorno financeiro, mas também em promover mudanças no mundo”, disse aos duxers, criticando a má distribuição de renda que causa a desigualdade social no País.

Expectativas dos Duxers

O desejo de tornar o mundo um lugar onde a equidade se faz presente entre todas as camadas sociais é uma característica notável entre os duxers, que estão cheios de expectativas relacionados ao projeto. Nathalia Souza trabalha na área de gestão de pessoas e comentou sobre a importância que o programa está tendo em sua vida, promovendo o autoconhecimento e o aprendizado. “A convivência entre colegas com histórias inspiradoras está sendo incrível e fazendo com que eu aprenda diariamente. A troca que ocorre também faz com que eu me conheça cada vez melhor e, assim, possa desenvolver minhas habilidades. Estou ansiosa para os próximos módulos”, afirmou. Já José Lopes, estudante de Administração, espera potencializar seu senso de formação de liderança a partir de uma atenção especial a questões comunitárias e coletivas. “O Dux é um ambiente para pensar ideias criativas e soluções reais para os problemas da sociedade. A integração entre os participantes vai ser ótima”, disse o estudante.